quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

DA ELIMINAÇÃO NA FARES LOPES À ARGENTINA: FORTALEZA SE RECONSTRÓI E TAMBÉM VIVERÁ SUL-AMERICANA

24 de agosto de 2011. Naquela noite, o Ceará entrava em campo confiante na Copa Sul-Americana, após o triunfo diante do São Paulo em casa por 2 a 1. Ao mesmo tempo, o Fortaleza duelava pela Taça Fares contra o Maranguape. O Ceará perdeu por 3 a 0 e deixou a Sul-Americana na primeira fase. O Fortaleza perdeu de virada com o time considerado reserva e saiu da Fares Lopes. Quase nove anos depois, esse abismo gigantesco entre competições jogadas não existe mais. Nesta quinta-feira (13), o Leão entrará em campo pela primeira vez em uma competição internacional contra o Independiente, às 21h30, em Buenos Aires. É a primeira vez, também, que um clube cearense faz uma partida oficial fora do País. Naquela noite de agosto de 2011, o Fortaleza era comandado por Arthur Bernardes. Atuou com: Fábio Lima; Pereira, Julio César, Bonfim, Régis, Isael, Russo, Magal, Gustavo Papa (Eduardo), Lelê (Rodrigo Dantas), Wellington Amorim (Vinícius) contra o Maranguape. Naquele mesmo ano, o Fortaleza escapou de ser rebaixado à Série D do Brasileiro, após golear o CRB por 4 a 0.
Agora estamos em 11 de fevereiro de 2020. O Fortaleza tem no calendário cinco competições: Copa Sul-Americana, Campeonato Cearense, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Série A do Brasileiro. O Leão tem orçamento de R$ 109 milhões em 2020, o maior da história do clube (chegou, portanto, à casa dos R$ 100 milhões do rival Ceará). São mais de 34 mil sócios. Para chegar a esse patamar, houve mudança de jogadores, de dirigentes, de técnicos... até chegar Rogério Ceni. Sob o comando dele, o Fortaleza conquistou três títulos no ano do Centenário do clube: Série B do Brasileiro, Cearense e Copa do Nordeste. Mas faltava mais... Quando muitos apontavam o Fortaleza como candidato à briga contra o rebaixamento em 2019 à Série B do Brasileiro, o Leão conseguiu uma arrancada incrível no fim e conquistou a vaga inédita na Sul-Americana.
Com o presidente Marcelo Paz, o Fortaleza fretou um avião para ir a Buenos Aires. Elenco, Ceni, dirigentes, torcedores e funcionários juntos sob um só objetivo: o de surpreender o "Rey de Copas" na casa deles, o maior campeão da Libertadores. No discurso, Rogério Ceni declarou que quer voltar com o time brigando por uma vaga na Arena Castelão, no jogo do dia 27 de fevereiro. São 4500 torcedores do Fortaleza lotando Buenos Aires para mostrar um pouco da festa que já ficou famosa, principalmente na última rodada do Brasileiro de 2019, quando as arquibancadas comemoravam a classificação para a Sula.

- Quem deixou para comprar ingresso em Buenos Aires, o Independiente vai colocar ingressos à venda no dia do jogo no próprio estádio, na bilheteria ao lado da entrada da hicha (torcida)tricolor - postou o gerente de futebol do Fortaleza, Sérgio Papellin, na tarde desta terça-feira (11).

Ou seja, na contramão do regulamento da Conmebol, haverá venda de ingressos no dia de Independiente x Fortaleza. E isso mostra a força que os torcedores do Leão têm. Aos 101 anos (completa 102 em outubro de 2020), o Fortaleza ganha esse presente: competição internacional, sob holofotes de outros países. Destaque para camisas personalizadas para quem voar com o elenco e até comidas que remetem ao clube para serem servidas no voo.
Para o jogo de volta, na capital cearense, mais de 33 mil torcedores já confirmaram presença até a tarde desta terça-feira (11), segundo o clube. Mas, antes disso, vale todo tricolor saborear cada momento deste jogo especial de quinta-feira (13). Para chegar até aqui, o Fortaleza superou percalços, trilhou bons caminhos e se reergueu aos poucos, depois de oito anos na Série C do Brasileiro, que deixaram marcas profundas, mas que também foram combustível para uma nova história. Aquela noite de 24 de agosto de 2011, de eliminação na Fares Lopes, aquilo tudo ficou para trás. É possível pensar e ir, cada vez mais, além.

Reprodução da Matéria do globoesporte.com/ce.
Foto Internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário